Sistelo, o pequeno Tibete

A orientação diversificada do relevo, as variações bruscas de altitude e o entrelaçar das influências climáticas dão origem a uma infinidade de microclimas. Estes, associados à constituição essencialmente granítica do solo e à ação construtiva do homem ao longo de séculos, criam características botânicas e paisagísticas muito particulares a esta zona, denominada de “pequeno Tibete português” pela beleza dos seus característicos socalcos.

Continuar a ler →

OUTONO NO DOURO VINHATEIRO

A região do Cima Corgo, situa-se entre as zonas de confluência do rio Corgo com o Douro, a jusante, e do rio Torto com o Douro a montante. O vale do rio Torto, que nasce no planalto granítico perto de Trancoso e corre num vale profundo e sinuoso antes de desembocar no Douro, proporciona uma importante variação da exposição das vinhas e um microclima que se faz sentir entre os 450m e os 700m de altitude, originando as condições que estão na origem de alguns dos melhores vinhos da região do Cima Corgo.

Continuar a ler →