A exploração do sal na zona de Aveiro remonta a um período anterior à formação da própria Ria de Aveiro. Sistema lagunar, as salinas embora sejam um habitat artificial, são de grande valor para as aves aquáticas, permitindo um equilíbrio notável entre o aproveitamento económico de um recurso e a conservação de valores naturais. Ao interesse paisagístico acresce o de serem verdadeiros santuários de biodiversidade. Para as aves, as salinas possuem ainda o atrativo de não sofrerem a influência do ciclo diário das marés, oferecendo-lhes portanto condições de alimentação e abrigo particularmente vantajosas.

Das 30 espécies de aves da Ria de Aveiro, 2 utilizam quase exclusivamente as salinas, nidificando nelas. No Ecomuseu da Troncalhada é possível observar os métodos tradicionais de produção de sal, ou salinicultura; um espaço que visa a valorização do património natural e cultural, enquanto recurso do desenvolvimento sustentável, suporte das entidades locais, bens coletivos, testemunhos vitais da memória de um povo e da evolução de um território.

A Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto, criada em 1979, pertencente à Z. P. E. da Ria de Aveiro situada entre Ovar e São Jacinto, a ria e o mar. A sua criação visou a preservação do seu sistema dunar e correspondente habitat, um refúgio natural ímpar em particular para as aves, onde respirar e observar ganham um novo sentido e desfrutar de um agradável contacto com a natureza.

Deixe uma resposta