A Sierra de Gata, situada na parte noroeste da Estremadura espanhola, é formada por amplos vales e dobras que estão na origem de uma paisagem de uma beleza esmagadora. Nos bosques autóctones podemos encontrar bétulas, azevinho, zimbro, carvalhos, castanheiros ou azinheiras e pinheiros nas zonas mais baixas. Aqui produz-se um vinho típico, o viñu e um azeite extraordinário com Denominação de Origem. A Sierra de Gata, incluída em 1977, juntamente com a barragem de Borbollón, como zona de Proteção Especial ICONA e pela Sociedade Espanhola de Ornitologia (SEO) alberga mais de 1175 espécie, algumas protegidas, das quais se destacam a cegonha negra e o abutre, como as mais emblemáticas.

Em novembro, a região acolhe os grous – a “ave da paz e da vida longa” que simboliza o amor conjugal e a fidelidade (o para só se desfaz com a morte) – vindos do norte da Europa, na migração de inverno; a sua chegada proporciona um espetáculo ímpar, da vida selvagem. Tal como a beleza outonal encantadora dos vales de castanheiros, bétulas e carvalhos, onde faremos as caminhadas, das aldeias de San Martín de Trevejo, Villamiel, Hoyos e da medieval Trevejo, com o seu castelo mourisco, classificadas de Património Histórico-Artístico. Aldeias paradas no tempo, onde se mantém vivo um dialeto local, a FALA, ramo do Galaico-Português, com uma musicalidade que encanta o visitante. Venha conhecer a beleza arquitetónica destas aldeias estremenhas, com as suas casas de pedra apalaçadas, ruelas empedradas por onde corre água de montanha e lojas de artesanato onde as tradições se perpetuam.

Deixe uma resposta