Arrábida Mística

O Parque Natural da Serra da Arrábida (PNArr), criado em 1976 e ampliado em 1998, assenta num maciço calcário composto pelas serras da Arrábida, S. Luis, Louro e Risco, bem como da área marítima adjacente, a do Cabo Espichel. A sua vegetação possui um elevado valor natural dada a influência de 3 tipos de clima: euro-atlântico, mediterrânico  e macaronésio (arribas). A Serra da Arrábida, a última da Europa e Ásia, foi ao longo de séculos lugar de inspiração religiosa, mística e até literária.

(mais…)

De Montedor ao Camarido

Sabia que o recém-criado Geoparque Litoral de Viana do Castelo acaba de ganhar o prémio Geoconservação 2016 da Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico (ProGEO)? O mais recente Geoparque nacional conta-nos a história da evolução da zona litoral a norte da cidade de Viana do Castelo com base em seis geosítios de excecional importância científica, e onde podemos encontrar “gotas” de magma, icnofósseis, ou gravuras rupestres, como aquelas que podemos observar no Alcantilado de Montedor. Uma paisagem modelada por diferentes momentos da evolução geológica e marcas que remontam de há mais de 500 milhões de anos. Modelada também pelo homem da Idade Média a quem se deve a construção das “pesqueiras” existentes nos interstícios das formações rochosas,  com recurso a pedras soltas que deixavam passar o peixe na subida da maré e o prendiam na maré baixa, ou as pias salineiras escavadas nas rochas.

(mais…)


Preço 25,00 € /pax *
* > 2 a 4 pax (inclui transporte)
* < 5 pax, sob consulta

DIFICULDADE: Moderado

Sistelo, o pequeno Tibete

A orientação diversificada do relevo, as variações bruscas de altitude e o entrelaçar das influências climáticas dão origem a uma infinidade de microclimas. Estes, associados à constituição essencialmente granítica do solo e à ação construtiva do homem ao longo de séculos, criam características botânicas e paisagísticas muito particulares a esta zona, denominada de “pequeno Tibete português” pela beleza dos seus característicos socalcos. Nas encostas dos vales mais quentes e abrigados aparecem, entre outras, o Sobreiro, o Medronheiro, o Azereiro, o Feto do Gerês, o Feto Real e a Uva do Monte. Nas zonas onde se sente mais a influência do clima atlântico e em altitudes que podem ir até aos 800 – 1000 metros surgem as matas de Carvalho Comum associado ao Azevinheiro que, para lá dos 1300 metros, toma por vezes porte arbóreo e constitui, nalguns casos, por si só, verdadeiras matas. Acima dos 900 metros o Carvalho Comum cede o lugar ao Carvalho Negral, ocorrendo também o Vidoeiro, espécie já característica da zona euro-siberiana, tal como o Pinheiro de Casquinha e o Teixo, localizados em altitude, nos vales mais húmidos e abrigados e representando restos de uma flora pós-glaciar onde é vulgar a presença do garrano.

(mais…)
Preço 25,00 € /pax *
* > 2 a 4 pax (inclui transporte)
* < 5 pax, sob consulta
DIFICULDADE: Moderado

OUTONO NO DOURO VINHATEIRO

A região do Cima Corgo, situa-se entre as zonas de confluência do rio Corgo com o Douro, a jusante, e do rio Torto com o Douro a montante. O vale do rio Torto, que nasce no planalto granítico perto de Trancoso e corre num vale profundo e sinuoso antes de desembocar no Douro, proporciona uma importante variação da exposição das vinhas e um microclima que se faz sentir entre os 450m e os 700m de altitude, originando as condições que estão na origem de alguns dos melhores vinhos da região do Cima Corgo. (mais…)

AMENDOEIRAS EM FLOR

No Douro Superior, a Primavera chega em finais de Fevereiro e as encostas de Vila Flor, Freixo, Figueira de Castelo Rodrigo, Mogadouro e Foz Côa vestem-se de branco e rosa para a receber num espectáculo único de rara beleza. (mais…)


Preço 155,00 € /pax *
* > 2 a 4 pax (inclui transporte)
* < 5 pax, sob consulta

DIFICULDADE: Moderado

ALTO DOURO VINHATEIRO

A luz límpida de Setembro, antecipando o Outono, revela uma paisagem de beleza singular, modelada pelos típicos socalcos. É essa natureza monumental do Alto Douro Vinhateiro que iremos descobrir num passeio a pé, passando pelas gravuras rupestres do Côa, que nos leva a uma das mais emblemática quintas do Douro. Aí chegados teremos oportunidade para desfrutar da simpatia do pessoal e da beleza e tranquilidade de um local ímpar, enquanto nos é servido o almoço. Noutro trilho iremos descobrir a riqueza arqueológica de Freixo de Numão, num passeio muito bonito pela calçada romana, por entre vinhas e figueiras.

(mais…)
Preço 155,00 € /pax *
* > 2 a 4 pax (inclui transporte)
* < 5 pax, sob consulta
DIFICULDADE: Moderado
Translate »